Home Artigos e notícias Tesouro Direto: o que é e como investir

Tesouro Direto: o que é e como investir

Entenda como funciona a plataforma do Tesouro Direto disponibilizada para que pessoas físicas possam investir em títulos públicos.

26 de abril de 2021

string(4) "topo"

O Tesouro Direto  é um dos recursos mais utilizados por investidores iniciantes ou por aqueles que buscam dar o primeiro passo para investir, além da tradicional caderneta de poupança.

Todavia, por ser prático, seguro e mais rentável do que outras aplicações como a poupança, também atrai os investidores mais experientes e conservadores.

Mas afinal, do que se trata o Tesouro Direto? É necessário ter muito dinheiro para investir?

Descubra como diversificar sua carteira de investimentos aprendendo a aplicar em títulos do Tesouro Direto.

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é uma plataforma de compra e venda de títulos públicos criada em 2002 pelo Tesouro Nacional, órgão responsável pela gestão da dívida pública, em parceria com a Bolsa de Valores (B3), antiga Bovespa.

A principal finalidade dessa plataforma é democratizar o acesso aos títulos públicos emitidos pelo governo, permitindo que pessoas físicas comprem papéis do Governo Federal pela internet, de forma 100% online.

Além disso, o programa ganhou popularidade, pois disponibiliza a possibilidade de fazer aplicações com valores considerados baixos pelo mercado.

Um outro fator importante é que o Tesouro Direto proporciona liquidez diária para todos os papéis. Vale lembrar, que a liquidez está relacionada à velocidade e à facilidade com as quais se pode resgatar o dinheiro de um investimento.

No mais, o Tesouro Direto é uma excelente alternativa, pois oferece títulos públicos federais com diferentes tipos de rentabilidade.

O que são títulos públicos?

Os títulos públicos federais são ativos de renda fixa emitidos pelo Tesouro Nacional sob a forma escritural (meio eletrônico) ao público para financiamento do Déficit Orçamentário Geral da União e da Dívida Pública Federal.

Em outras palavras, os títulos públicos representam opções de investimentos de renda fixa usados com o objetivo de captar recursos para pagar a dívida pública e financiar atividades do Governo Federal nas áreas de educação, saúde e infraestrutura.

Como funciona o Tesouro Direto?

Ao realizar uma aplicação por meio do site, o investidor empresta dinheiro para o governo em troca de uma rentabilidade, que varia conforme o tipo de título escolhido. 

Dessa forma, o dinheiro investido é recebido na data de vencimento que foi definida no momento da compra, acrescido de juros, portanto, a rentabilidade do papel é o juros que o governo paga ao investidor no intuito de financiar a dívida estatal.

Nesse sentido, a quantidade mínima por investimento é a fração de 0,01 de cada título emitido pelo governo, ou seja, 1% do valor do papel, entretanto, o valor mínimo de investimento aceito é a partir R$30.

Além do mais, todos os títulos vendidos pelo Tesouro Direto possibilitam que o investidor possa resgatar a quantia a qualquer momento

No entanto, dependendo da característica do papel, resgatar valores antes do prazo pode gerar prejuízo a depender da flutuação diária no preço daquele título.

Contudo, os títulos públicos só entregam o retorno prometido integralmente no vencimento do papel.

Quais são os tipos de títulos públicos do Tesouro Direto?

Ao escolher um título, é possível definir diferentes indexadores, prazos de vencimento e fluxos de remuneração.

como-funciona-o-tesouro-direto
Antes de investir é necessário conhecer quais as modalidades de papéis disponíveis.

Logo, conhecer os tipos de títulos disponíveis é essencial e depende de fatores relacionados ao que se deseja conquistar com o investimento e em quanto tempo.

Existem três grandes grupos de títulos públicos à venda no Tesouro Direto: prefixados, pós-fixados e híbridos

Tesouro Pós-fixado

É o caso do Tesouro Selic que é uma modalidade de investimento em títulos de renda fixa que tem o rendimento atrelado à Taxa Selic, a Taxa Básica de Juros. Ele também tem liquidez diária, o que permite ser resgatado a qualquer momento.

Neste caso, é possível saber quais serão os critérios de remuneração, porém, o retorno total do investimento só será revelado no momento do resgate, tendo em vista, que esses papéis são atrelados a um indexador que pode variar.

Tesouro Prefixado

Também conhecido como Letras do Tesouro Nacional (LTN), é aquele no qual é possível saber, no momento da compra, exatamente qual será a rentabilidade, ou seja, quanto vai receber de retorno, desde que o resgate seja realizado  somente no vencimento do título. 

Títulos Híbridos

É aquele no qual ocorre fusão de rentabilidades, como o Tesouro IPCA  que tem parte da remuneração definida no momento da compra e o restante atrelado à variação da inflação, ou seja, o investidor ganha conforme a variação da inflação mais uma taxa prefixada.

Quais são as principais vantagens do Tesouro Direto?

  • segurança – quem garante que o dinheiro será devolvido para quem investiu é o Governo Federal o que minimiza o risco de calote;
  • praticidade – as negociações são feitas online e a plataforma é simples e intuitiva, portanto, não é preciso contar com um especialista em mercado financeiro e nem ir ao banco para comprar os títulos;
  • valor mínimo de investimento abaixo do mercado –  é possível começar a investir no Tesouro Direto com valores iniciais de R$30.

Também pode te interessar:

Fundos Imobiliários: o que são e como investir?
LTDA: entenda o que é uma Sociedade Empresarial Limitada
Bitcoin: descubra como funciona

Quais são as principais desvantagens do Tesouro Direto?

  • demora no resgate – quando uma pessoa resgata seus investimentos no Tesouro Direto, pode levar até três dias para ter o dinheiro disponível em conta. Isso porque existe um prazo de liquidação para esses investimentos: o dinheiro leva entre um e dois dias para ser depositado na conta da corretora. Depois disso, precisa ser transferido para uma conta bancária comum para poder ser resgatado;
  • volatilidade dos preços – os valores dos títulos do Tesouro Direto variam diariamente, por isso, sacar o investimento antes do prazo pode gerar uma rentabilidade menor do que a contratada;
  • taxas – existe uma taxa que deve ser paga para a B3 de 0,30% sobre o valor investido. Este valor é destinado a cobrir os custos de negociação e custódia e é cobrado ao ano de forma proporcional todos os dias. Existe ainda, uma taxa de negociação que é cobrada a cada operação de 0,10% descontados do valor dos títulos. Além disso, pode haver uma  taxa administrativa  que é coletada por algumas instituições financeiras e corretoras, por isso, antes de contratar, certifique-se que esse valor não seja abusivo. 

Investir no Tesouro Direto é seguro?

A frase “não há investimento sem risco” também vale também para o Tesouro Direto. No entanto, investir em papéis públicos é bastante seguro.

Embora os investimentos em Tesouro Direto não estejam cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), a garantia é oferecida pelo Governo Federal, que é o emissor dos títulos. 

como-investir-no-tesouro-direto
Fique por dentro de como realizar um investimento.

Na medida em que o Governo Federal é a única instituição que pode comprar ou vender títulos do Tesouro Direto e estabelecer os preços destes conforme a demanda, os riscos nas operações tornam-se mínimos.

Como investir no Tesouro Direto?

Qualquer pessoa que possua CPF e uma conta bancária, corrente ou poupança, pode investir. Para isso siga o tutorial abaixo:

Simule seu investimento

É possível fazer uma simulação para entender quais os tipos de investimento podem ser mais adequados. Essa ferramenta está disponível no portal oficial do Tesouro Direto.

Cadastre-se em uma instituição financeira

Escolha uma instituição financeira que possibilite investir no Tesouro Direto como bancos, corretoras ou agentes de custódia  habilitados e solicite que o cadastro junto ao Tesouro Nacional.

Aguarde a senha

A B3 envia por e-mail uma senha de acesso ao portal do investidor, onde são guardados e negociados os títulos.

Acesse o Portal do Investidor

Insira a senha recebida e substitua por uma nova, no padrão de 8 a 16 dígitos, incluindo números, letras e caracteres especiais, como 123ABC!@#.

Escolha o título

No menu do site do Tesouro, clique em “INVESTIR E RESGATAR” e, logo em seguida, em “INVESTIR” e visualize todos os títulos públicos disponíveis para compra no momento.

Defina um valor

Transfira o valor que você quer investir da conta bancária para a conta na instituição em que se cadastrou no Tesouro Direto.

Comece a investir

Pela plataforma da instituição em que fez o cadastro, pelo portal ou pelo aplicativo oficial do Tesouro Direto. Basta escolher os títulos e preencher o valor que deseja investir em cada um.

O Tesouro Direto é uma das formas mais seguras de investimento do mercado, além de ser ideal para todos aqueles que estão começando a investir.

Para mais informações acesse o portal oficial do Tesouro Direto ou ainda o site da Bolsa de Valores.

Imagens em destaque: Freepik (@pch.vector)

Shares