Home Artigos e notícias Tire suas dúvidas sobre os testes de covid-19

Tire suas dúvidas sobre os testes de covid-19

Conheça quais são os tipos de teste de covid-19 disponíveis no Brasil e compreenda em quais casos cada um deles é indicado.

21 de junho de 2021

string(4) "topo"

O novo coronavírus faz parte de uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais.

Até o momento, no Brasil, já são mais de 17 milhões de casos confirmados.

Nesse sentido, cresce a necessidade de realizar testes em massa para detecção da doença e registro do verdadeiro número de infectados.

Assim sendo, existem diferentes tipos de teste para covid-19, cada qual com uma função específica.

Tire suas dúvidas sobre os tipos de exame de covid-19 disponíveis em território nacional.

O que são testes para detecção de covid-19?

São exames que detectam se a pessoa teve ou não contato com o vírus e que podem identificar:

  • anticorpos, ou seja, uma resposta do organismo quando este teve contato com o vírus, recentemente (IgM) ou previamente (IgG); 
  • material genético (RNA) ou “partes” (antígenos) do vírus (RT-PCR).

Existem os testes que usam sangue, soro ou plasma, e os que precisam de amostras de secreções coletadas das vias respiratórias, como nasofaringe (nariz) e orofaringe (garganta).

Todos esses dispositivos precisam ter registro na Anvisa para que possam ser utilizados e, para isso, passam por um rígido controle sanitário de produtos no qual o objetivo é avaliar a segurança, a qualidade e a eficácia dos testes, certificando que estes são capazes de fornecer os resultados para os quais foram desenvolvidos.  

Entretanto, cada tipo de teste é destinado a uma determinada situação.

Para que servem os testes de covid-19?

Os testes constituem um mecanismo que permite que os  governos e profissionais da saúde constatem os seguintes parâmetros:

  • a dimensão real da propagação do vírus na sociedade;
  • o acompanhamento as cadeias de transmissão da doença;
  • detectar pacientes assintomáticos;
  • detectar as pessoas que em algum momento tiveram a covid-19 e não descobriram;
  • identificar a transmissão do vírus por áreas geográficas e faixas etárias.

Quando os testes de covid-19 devem ser feitos? 

Os testes de covid-19 devem ser feitos basicamente nas seguintes situações:

  • quando o indivíduo apresenta sintomas da doença, sejam eles, tosse, dor de cabeça, coriza, febre alta, dificuldade para respirar, entre outros;
  • quando a pessoa, mesmo que sem sintomas, entra em contato com alguém infectado e quer saber se foi infectada;
  • quando se deseja saber se determinada pessoa possui anticorpos contra a doença.

O que são testes rápidos (IgM/IgG)? 

São exames capazes de detectar a presença de anticorpos (IgM e IgG), que são produzidos pelas células de defesa do corpo humano contra o coronavírus SARS-COV-2. É realizado por meio da coleta de uma gota de sangue e os kits e insumos utilizados devem possuir registro junto à Anvisa.

Ademais, os testes rápidos (IgM/IgG) podem auxiliar no mapeamento da população “imunizada”,  que já teve o vírus ou foi exposta a ele. 

Por fim, os testes rápidos são de fácil execução, não necessitam de outros equipamentos de apoio e conseguem dar resultados entre 10 e 30 minutos.

Para quem o teste rápido é recomendado?

Para pessoas que apresentem os sintomas (tosse, dor de cabeça, coriza, febre alta, dificuldade para respirar). O teste rápido NÃO é recomendado para pessoas assintomáticas.

Vale ressaltar, que o período entre o início dos sintomas e a detecção dos anticorpos em exames é chamado de janela imunológica. 

Assim sendo, o teste para anticorpos (IgM e IgG) é indicado para exames a partir do oitavo dia após o início dos sintomas. A utilização de testes rápidos antes desse período pode levar a resultados “falso negativo”.

Os testes rápidos são de uso profissional?

Sim. Os testes rápidos registrados para a covid-19 são de uso profissional e os seus resultados devem ser interpretados por um profissional de saúde legalmente habilitado e devidamente capacitado, conforme definido pelos conselhos profissionais da área da saúde e por políticas do Ministério da Saúde. 

Portanto, de acordo com a Anvisa, esses testes não devem ser feitos por leigos.

Além do mais, os testes em domicílio podem ser realizados, desde que executados por profissional legalmente habilitado vinculado a um laboratório clínico, posto de coleta ou serviço de saúde pública ambulatorial ou hospitalar.

Quais os lugares que podem fazer o teste rápido?

Os estabelecimentos de saúde que possuem licença sanitária ativa para as atividades específicas. São eles:

  • laboratórios, clinicas e centros de diagnósticos (posto de coleta, unidades móveis e coleta domiciliares); 
  • unidades básicas (UBS); 
  • unidades de assistência ambulatorial (AMA); 
  • unidades de pronto-atendimento (UPA); 
  • unidades de pronto-socorro (PS) e farmácias (conforme Portaria RDC 377/2020, que concede autorização temporária e excepcional para farmácias)

O que são os testes sorológicos?

São os exames realizados com amostras de sangue dos pacientes, capazes de detectar a presença de anticorpos (IgA, IgM e IgG), que são produzidos pelas células de defesa do corpo humano contra o coronavírus SARS-COV-2 após o contato com o vírus. Os insumos utilizados para a coleta e a análise devem possuir registro junto à Anvisa.

Para quem o exame sorológico é recomendado?

Para pessoas que apresentem os sintomas (tosse, dor de cabeça, coriza, febre alta, dificuldade para respirar).

De acordo com a Anvisa, como a produção de anticorpos aumenta a cada dia a partir do início da infecção pelo vírus, é preciso que haja uma quantidade mínima de anticorpos que o teste consiga detectar. Esse período entre o início dos sintomas e a detecção dos anticorpos em exames é chamado de janela imunológica. 

Sendo assim, a imunocromatografia para anticorpos (IgM e IgG) é indicada para exames a partir de, pelo menos, oito dias após o início dos sintomas.

Onde posso fazer o teste sorológico?

Apenas em estabelecimentos de saúde que possuem licença sanitária ativa para a atividade específica como: 

  • laboratórios, clinicas e centros de diagnósticos (posto de coleta, unidades móveis e coleta domiciliares); 
  • unidades básicas (UBS); 
  • unidades de assistência ambulatorial (AMA); 
  • unidades de pronto-atendimento (UPA); 
  • unidades de pronto-socorro (PS).

Enfim, a análise só pode ser realizada por laboratórios clínicos, que possuem licença sanitária ativa para o tipo de serviço específico, com área destinada a testes sorológicos.

Também pode te interessar: 

Teste de covid-19: diversos tipos e indicações
Saiba qual é o intervalo entre as doses das vacinas contra covid-19
Tire as dúvidas sobre as vacinas contra a covid-19

O que é o teste de RT-PCR?

O RT-PCR (Reverse Transcription – Polymerase Chain Reaction) é um teste de Reação em Cadeia da Polimerase com Transcrição Reversa em tempo real que verifica a presença de material genético do vírus, confirmando que a pessoa se encontra com covid-19.

tudo-sobre-os-testes-de-covid-19
A Anvisa recomenda que os testes RT-PCR devem ser realizados sob indicação médica.

Em outras palavras, é um exame realizado em amostras coletadas em swabs de nasofaringe e orofaringe, que detecta a presença do antígeno (material genético do vírus SARS-COV-2) na mucosa do paciente. 

Contudo, os testes de RT-PCR são considerados o padrão ouro para a detecção do vírus, sendo o teste definitivo segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para quem o exame RT-PCR é recomendado?

O método RT-PCR é recomendado para o diagnóstico da doença, uma vez que, esse tipo de teste se baseia na detecção de fragmentos do material genético do vírus e revela se a pessoa está doente no momento da realização do exame, porém, não detecta contágios passados.

Esse teste é recomendado para pacientes a partir do terceiro até o décimo dia de início dos sintomas, e pessoas que tiveram contato com pacientes com covid-19 confirmados dentro desse período. 

A partir do terceiro dia de sintomas o vírus já se replicou e possui material genético em quantidade suficiente para ser detectado pelo teste e após esse período a quantidade de material genético começa a diminuir.

Onde pode ser feito o RT- PCR?

Em estabelecimentos de saúde como:

  • laboratórios, clinicas e centros de diagnósticos (posto de coleta, unidades móveis e coleta domiciliares); 
  • unidades básicas (UBS); 
  • unidades de assistência ambulatorial (AMA); 
  • unidades de pronto-atendimento (UPA); 
  • unidades de pronto-socorro (PS) podem realizar a coleta das amostras para o RT-PCR, porém a análise só pode ser realizada por laboratórios clínicos com área destinada a testes de Biologia Molecular.

O que são os testes in house?

São testes desenvolvidos por laboratórios clínicos, conforme seus próprios protocolos. 

O desenvolvimento deste tipo de teste segue normas da Anvisa (Resolução da Diretoria Colegiada  RDC 302/2005) e a produção é exclusivamente para uso próprio do estabelecimento, em pesquisa ou apoio diagnóstico. 

Portanto, esse teste não pode ser comercializado. 

O que fazer se eu identificar indícios de irregularidade ou falsificação em testes para covid-19?

Quaisquer indícios de irregularidade ou falsificação devem ser imediatamente comunicados à Ouvidoria da Anvisa ou à autoridade sanitária local.

Não obstante, é possível ainda entrar em contato com a Anvisa nas seguintes situações:

Contudo, denúncias em relação a práticas comerciais fraudulentas, bem como importação ou distribuição irregular, devem ser encaminhadas à Anvisa por meio do Sistema da Ouvidoria. Nesse caso, o notificante pode optar por não se identificar, mantendo o seu anonimato.

Imagens: Freepik (@freepik)

0Shares
0