Home Artigos e notícias Negativa de cirurgia bariátrica de urgência gera dano moral.

Negativa de cirurgia bariátrica de urgência gera dano moral.

25 de junho de 2017

Plano de saúde terá que indenizar paciente que teve cirurgia bariátrica de urgência negada.

A Amil Assistência Médica Internacional S/A terá que indenizar Hermenson Lima dos Santos no montante de R$ 35 mil por danos morais. Mesmo com solicitação médica feita desde julho de 2011, o plano se recusou a atender o conveniado com cirurgia bariátrica. A decisão é do juiz Péricles di Montezuma, da 7ª Vara Cível. O magistrado determinou também o custeio do tratamento, bem como o procedimento para colocação de balão intragástrico. A multa foi fixada em R$ 2 mil caso a operadora descumpra a medida.

De acordo com a ação, o paciente tem obesidade mórbida. O Índice de Massa Corporal (IMC) do paciente é de dele 60,8 kg/m². Conforme o processo, diante da negativa do plano em realizar a cirurgia, Hermenson adquiriu outras doenças decorrente da obesidade, dentre elas, asma grave e câncer na bexiga.

Em sua defesa, a Amil afirmou que a solicitação não se encontra prevista no rol de procedimentos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A operadora apontou ainda que ofereceu rede credenciada ao autor no Distrito Federal, arcando com transporte e hospedagem. Ainda segundo o plano, após indicação de médico não credenciado, autorizou o procedimento realizando depósito na conta da mulher do conveniado.

Ao analisar o caso, o juiz apontou a lei que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde. “O artigo é claro ao assegurar que é expressamente obrigatória a cobertura de qualquer necessidade urgente e essencial do aderente. Considerando também situações que impliquem em risco imediato à vida ou de lesões irreparáveis para o paciente”, frisou.

Segundo Péricles Montezuma, conforme atestado médico juntado ao processo, o tratamento é de extrema urgência. “Observo que houve profunda violação à personalidade e dignidade do autor. Ele teve a vida perturbada em razão da conduta da empresa de negar-lhe a prestação de serviço. Não resta dúvida quanto ao abalo moral vivenciado”, pontuou o magistrado.

*INFORMAÇÕES DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE GOIÁS

Plano de saúde terá que indenizar paciente que teve cirurgia bariátrica de urgência negada

0Shares
0