Home Artigos e notícias Quanto tempo pode atrasar um voo?

Quanto tempo pode atrasar um voo?

31 de janeiro de 2019

Voo atrasado causa transtornos para qualquer passageiro aéreo. Saiba quais são as situações mais comuns, qual é o tempo para se configurar um voo atrasado e como reivindicar os seus direitos.

Malas prontas, documentos em mãos e planejamentos no destino, seja na ida ou na volta. As viagens geram ansiedade e deparar-se com a informação de atraso de voo não é agradável aos passageiros. Para minimizar os transtornos e, caso não seja possível, conheça as informações para entrar com ação na Justiça, por meio de advogado especializado, e conseguir indenizações pelos seus direitos.

De acordo com dados da ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, o atraso de voo está entre os três principais problemas enfrentados pelos passageiros nos aeroportos nacionais. Por que um voo atrasa? O que fazer em caso de voo atrasado? Como conseguir rever os seus direitos diante de um atraso de voo? Essas e outras repostas no artigo abaixo.

voo_atrasado

5 principais causas para um voo atrasado

Diversos fatores podem levar ao atraso de voo, mas abaixo seguem os 5 mais comuns e que mais causam transtornos aos passageiros.

  1. Condições climáticas: Chuva forte, ventanias, neblina ou névoa baixa são alguns exemplos de condições que restringem os pousos e decolagens e podem até levar ao fechamento do aeroporto, levando ao atraso de voo.
  2. Manutenção na aeronave: Existem situações em que as aeronaves precisam passar por manutenções inesperadas, como uma troca de pneu ou reparos elétricos, por exemplo. Na maioria das vezes, não há aviões de reserva e isso leva com que o voo seja atrasado.
  3. Tráfego aéreo: Alguns fatores que levam ao atraso de voo estão relacionados à infraestrutura dos aeroportos do Brasil. Além disso, más condições climáticas também interferem na no horário dos voos e um efeito cascata é gerado.
  4. Tripulação: a equipe de piloto e comissários quando chega tarde ou não comparece, leva ao atraso de voo. Mesmo que a companhia acione a equipe reserva, pode haver falha ou demora na chegada da mesma.
  5. Baixa ocupação no voo e overbooking: Quando há apenas 30% dos assentos ocupados, as companhias tendem a juntar o voo com outro ou mesmo, chegam a cancelar o voo. Por outro lado, há situações em que o voo está superlotado e a realocação dos passageiros pode acarretar em atraso de voo.

O que fazer em caso de voo atrasado

As regras da ANAC, segundo a Resolução 141, valem tanto para voos domésticos como internacionais em território brasileiro.

Para atraso superior a 2 horas:

A companhia aérea deve disponibilizar alimentação (voucher para almoço, lanche ou jantar) e comunicação.

Quando o atraso do voo é superior a 4 horas:

Há casos em que o atraso vai avançando e as horas passam, mas há casos em que o atraso já é previsto e a espera do passageiro pode ser superior a 4 horas. Em ambos os casos, a companhia aérea deve prestar uma assistência mais completa, incluindo acomodação e transporte. O passageiro tem direito a decidir o que é melhor para si, e nem sempre precisa aceitar a proposta da empresa.

Os direitos do passageiro aéreo em caso de atraso de voo

Reembolso integral, inclusive do valor da taxa de embarque. Nesse caso, a assistência material pode ser suspensa pela companhia;

– A assistência material não pode ser suspensa nos casos em que o passageiro opte por remarcação de data e horário de voo;

Embarcar no próximo voo da mesma empresa, caso haja lugares, para o mesmo destino. A assistência material deve ser disponibilizada;

Embarcar no voo de outra companhia aérea, se houver lugares disponíveis, através do endosso;

Hospedagem e transporte do aeroporto ao local de acomodação. Caso o passageiro esteja em sua cidade, apenas lhe será oferecido o transporte;

Para voos com atraso de mais de 4 horas:

O passageiro deve procurar o atendente da empresa no balcão de check-in e portões de embarque. Informe o ocorrido. Caso haja uma negativa quanto à resolução do problema, ele pode exigir falar com o supervisor. Se mesmo assim não houver solução, importante procurar a ANAC ou o escritório do Juizado Cível do aeroporto. Na ANAC, é possível abrir um registro da reclamação.

Ainda assim, o passageiro deve fazer um registro de tudo o que puder usar como prova. Fotos dos painéis, vídeos, notas fiscais, trocas de e-mails, etc são provas contra a companhia caso haja interesse em procurar um advogado especializado em Direitos do Passageiro Aéreo. Cada vez mais os tribunais têm julgado a favor dos passageiros por causa das práticas abusivas por parte das companhias aéreas e as indenizações por danos morais e danos materiais variam de R$ 3 mil a R$ 15 mil.

imagens: unsplash.com

 

0Shares
0