Home Artigos e notícias Outubro Rosa: o que é câncer de mama e como tratar?

Outubro Rosa: o que é câncer de mama e como tratar?

07 de outubro de 2020

No mês de conscientização e combate ao câncer de mama, aumenta a preocupação em informar a população sobre os riscos da doença. Conheça neste post, as principais informações, importância do autoexame, sintomas e tratamentos, com intuito de alavancar a prevenção.

Hoje, a comemoração do Outubro Rosa 2020 completa 7 dias. Durante esse período, já foram realizados e agendados diversos eventos para promover a conscientização da população sobre o câncer de mama.

Diante da pandemia de Covid-19, o mês de prevenção e combate ao câncer de mama sofreu algumas mudanças. Nesse momento, a maioria das atividades atreladas ao movimento Outubro Rosa migraram para o meio online.

Seja por meio de lives nas redes sociais ou de palestras presenciais, o objetivo da ação é o mesmo: lutar contra o câncer de mama.

Para combater os números dessa doença, a sociedade precisa, em primeiro lugar, entender o que está do outro lado da luta. Por isso, hoje falaremos sobre o que é essa doença e como funciona o seu tratamento.

Entendendo o câncer de mama

O que é o câncer de mama?

O câncer de mama é o crescimento descontrolado de células anormais na mama. Essa anomalia surge de mutações genéticas em algumas células, como as produtoras de leite.

O câncer de mama acontece só em mulheres?

Não. Embora a doença seja muito mais comum em pacientes mulheres, também pode acometer homens. No entanto, a incidência em homens é muito baixa, representando somente 1% dos casos da doença, segundo dados do Instituto Brasileiro de Oncologia (INCA).

Todo nódulo na mama é câncer?

O entendimento de que todo “carocinho” na mama significa câncer é equivocado. De acordo com a American Cancer Society, a maioria dos nódulos na mama não é câncer, mas sim tumores benignos.

O que são os tumores benignos de mama?

Assim como os tumores malignos, os benignos também são crescimentos anormais. No entanto, eles não se disseminam. Contudo, em alguns casos, a formação desses nódulos pode aumentar o risco de desenvolvimento do câncer de mama.

Eu só preciso procurar um médico se eu perceber a formação um nódulo?

Não! A formação de nódulos é o sintoma mais conhecido, mas existem muitos outros indícios do câncer de mama. Essa doença possui tipos variados e nem sempre se manifesta da mesma forma. Diante de qualquer alteração na mama, é fundamental consultar um médico.

Tratamento do câncer de mama

O tratamento do tumor maligno na mama pode ser através de uma modalidade específica ou da combinação de várias. Assim sendo, quem determina a terapia utilizada é o médico responsável, com base na localização do tumor, no tipo do câncer e na sua extensão e fase.

outubro-rosa-o-que-e-câncer-de-mama-e-como-tratar-2
O tratamento do tumor maligno na mama deve ser escolhido pelo médico oncológico.

Geralmente, são utilizadas cirurgias como a mastectomia, a conservadora e a reconstrução mamária. Além disso, muitos pacientes fazem o tratamento com radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e anticorpos.

Todavia, em muitas situações, o tratamento do câncer de mama pode envolver terapias e medicamentos de alto custo. Assim sendo, é fundamental que os pacientes recebam todo o apoio possível.

Cobertura do tratamento de câncer de mama através do plano de saúde

Infelizmente, muitos são os casos em que o paciente recebe a negativa de custeio de tratamentos de alto custo. Isso ocorre inclusive com pacientes oncológicos, que dependem totalmente do tratamento para sobreviver.

No entanto, as recusas de fornecimento são indevidas e podem ser revertidas através da Justiça. O entendimento dos Tribunais é favorável ao beneficiário, que pode se proteger de situações indevidas. Nesse sentido, podemos observar as Súmulas abaixo:

“Havendo expressa indicação médica, não prevalece a negativa de cobertura do custeio ou fornecimento de medicamentos associados a tratamento quimioterápico.” (Súmula 95, TJSP)

“Havendo expressa indicação médica de exames associados a enfermidade coberta pelo contrato, não prevalece a negativa de cobertura do procedimento.” (Súmula 95, TJSP)

“Havendo expressa indicação médica, é abusiva a negativa de cobertura de custeio de tratamento sob o argumento da sua natureza experimental ou por não estar previsto no rol de procedimentos da ANS.” (Súmula 102, TJSP)

Diante da negativa de custeio, é possível consultar um advogado especialista em Direito à Saúde e Direitos do Consumidor.

Dessa forma, é possível analisar as possibilidades de se ajuizar uma ação com pedido de liminar contra o plano de saúde.

Principais cuidados e formas de prevenção

Números do câncer de mama

De acordo com o Ministério da Saúde, o câncer na mama corresponde a 28% dos casos novos de câncer em mulheres, aproximadamente. Em 2018, a doença resultou em 17.572 óbitos entre as mulheres (dados do INCA).

outubro-rosa-o-que-e-câncer-de-mama-e-como-tratar-3
O tumor maligno na mama é o tipo de câncer que mais acomete mulheres no Brasil.

Segundo as estimativas do INCA, somente em 2020, o número de casos novos deve chegar a 66.280.

Principais sintomas

O sintoma mais comum de tumor maligno na mama é o surgimento de nódulos mamários. Geralmente, esses pontos de inchaço são indolores, rígidos e irregulares. No entanto, os nódulos do câncer podem ter diferentes tipos e formatos.

Além disso, existem outros sinais de câncer na mama. Vejamos abaixo:

  • edema (inchaço) na pele, no qual a textura da pele fica semelhante à casca de laranja;
  • retração da pele ou do mamilo (que pode chegar até mesmo à inversão);
  • dores na mama;
  • hiperemia (mama avermelhada e com temperatura elevada);
  • descamação ou ulceração do mamilo;
  • secreção papilar (especialmente fora do período de gravidez), geralmente transparente, podendo ser rosada ou avermelhada;
  • formação de nódulos na axila.

Prevenindo o câncer de mama

Existem diversos fatores atrelados ao surgimento do câncer de mama. Vários deles não podem ser modificados, por isso não existe um método totalmente garantido de prevenção.

Contudo, é possível controlar alguns fatores de risco. Como resultado, os riscos de desenvolvimento da doença reduzem. Os principais são:

  • controle do peso corporal;
  • alimentação saudável;
  • prática regular de exercícios físicos;
  • redução do consumo de bebidas alcoólicas.

Segundo o Ministério da Saúde, por meio desses passos é possível reduzir em até 28% o risco de desenvolvimento de câncer de mama.

Faça o autoexame e mantenha o acompanhamento médico

Inegavelmente, a melhor forma de prevenir o câncer de mama é mantendo os exames e consultas em dia. De acordo com o INCA, o diagnóstico precoce faz toda a diferença no tipo de tratamento e nas chances de melhora.

Isso porque, quando detectado no início, o câncer de mama pode receber um tratamento menos agressivo. Além disso, as chances de óbito pela doença são reduzidas.

“Todas as mulheres, independentemente da idade, devem ser estimuladas a conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres”, segundo profissionais do INCA.

outubro-rosa-o-que-e-câncer-de-mama-e-como-tratar-4
Através do toque e exame das mamas, é possível identificar sinais de tumores malignos.

Devemos ressaltar que o objetivo desse texto é completamente informativo, e jamais deve substituir o acompanhamento médico. Qualquer sinal do câncer de mama deve ser analisado por um profissional da saúde.

O Escritório Rosenbaum Advogados tem vasta experiência no setor de Direito à Saúde e Direitos do Consumidor. O contato pode ser feito através do formulário no site, WhatsApp ou pelo telefone (11) 3181-5581 e o envio de documentos é totalmente digital.

Imagem em destaque: Freepik

0Shares
0