Home Artigos e notícias Novembro Azul: conscientize-se sobre o diabetes

Novembro Azul: conscientize-se sobre o diabetes

03 de novembro de 2020

Novembro Azul é o mês de conscientização do diabetes, uma doença que acomete milhões de brasileiros. Essa campanha visa alertar sobre os perigos, a importância do diagnóstico precoce e os tipos da doença. Quem conhece, fica consciente e cuida. 

Novembro Azul é mais conhecido como o mês de prevenção do  câncer de próstata. Mas, não menos importante, dada a realidade da saúde brasileira, o Novembro Azul também é um período de alerta para outra doença: o diabetes.

Em 1991, a Federação Internacional de Diabetes e a Organização Mundial da Saúde definiram que em 14 de novembro celebra-se o “Dia Mundial do Diabetes”. Contudo, em 2008 o Instituto Lado a Lado pela Vida criou a campanha “Novembro Azul pelo Câncer de Próstata”.

Promover a conscientização sobre o câncer de próstata é de fato muito importante. Entretanto, é fundamental estar atento à possibilidade de o movimento ofuscar o alerta para o diabetes.

Neste post serão abordadas as principais informações sobre o diabetes, com intuito de levar informação e garantir que quem conhece, cuida. Para saber mais sobre a doença e seu tratamento, é só seguir na leitura! 

Entenda como funciona o diabetes

O que é diabetes?

O diabetes é uma doença caracterizada pela falha na fabricação do hormônio insulina pelo corpo ou não aplicação do mesmo de forma adequada.

O que é insulina?

A insulina é o hormônio responsável por controlar a quantidade de glicose no sangue, uma substância que ingerimos através da alimentação.novembro-azul-conscientize-se-sobre-o-diabetes-2

O que acontece se o corpo não emprega a insulina corretamente?

O paciente não consegue utilizar corretamente a glicose que consome, podendo sofrer uma hiperglicemia (alta dosagem de glicose no sangue). Como resultado, podem ocorrer danos aos órgãos, vasos sanguíneos e nervos do enfermo.

Quais os tipos de diabetes?

Existem três tipos de diabetes:
tipo 1, na qual o corpo ataca as células beta (produtoras de insulina);
tipo 2, na qual o corpo não consegue produzir ou não produz insulina suficiente;
gestacional, causada por mudanças hormonais na gravidez.

Quais as complicações do diabetes?

Algumas complicações que podem afetar os pacientes diabéticos são:
– doença nos rins;
– neuropatia (dano aos nervos) e má circulação nos membros inferiores, o que pode causar perda de sensibilidade, úlceras, infecções e até mesmo levar à necessidade de amputação;
– ressecamento da pele e surgimento de feridas;
– problemas nos olhos.

Existem fatores de risco?

Sim. Podem ser mais propensos ao desenvolvimento do diabetes aqueles que:
– são diagnosticados com pré-diabetes;
– têm pressão alta, doença renal crônica, síndrome de ovários policísticos ou apneia do sono;
– estão com colesterol alto ou possuem alterações na taxa de triglicérides no sangue;
– estão acima do peso (especialmente se a gordura estiver acumulada em torno da cintura);
– possuem caso de diabetes na família;
– tiveram bebê com peso superior a quatro quilos ou teve diabetes gestacional;
– receberam diagnóstico de distúrbios psiquiátricos como depressão, esquizofrenia ou transtorno bipolar;
– precisaram utilizar glicocorticoides.

Essa doença tem cura?

Atualmente não existe cura para o diabetes. No entanto, há a possibilidade de controlar os níveis de açúcar no sangue, que em alguns casos até se estabilizam.

Em vista disso, algumas pessoas acabam confundindo a normalização dos níveis de glicose com a cura do diabetes. Podemos citar por exemplo, o diabetes tipo 2 atrelado ao aumento de peso.

Nesse caso, se o paciente emagrece, é muito provável que os níveis de açúcar no sangue se regularizem, o que pode ser visto como cura. No entanto, o que ocorre é o controle da doença, que pode ser comprometido se a pessoa ganhar peso novamente.

novembro-azul-conscientize-se-sobre-o-diabetes-3
Apesar de existirem diferentes causas para a diabetes, a doença pode estar relacionada ao excesso de peso.

Uma vez que ocorre o diagnóstico da doença, o paciente sempre será diabético. Contudo, por meio do tratamento adequado, é possível garantir qualidade de vida e evitar complicações.

Como é o tratamento do diabetes?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), no Brasil existem mais de 13 milhões de diabéticos e esse número está crescendo. Além disso, a associação alerta que para casos diagnosticados tardiamente, favorece o surgimento de complicações.

Para identificar o diabetes é necessário em primeiro lugar realizar um exame de sangue. Assim sendo, é fundamental estar com exames de rotina sempre em dia e consultar médicos com a frequência recomendada.

Em caso de suspeita de diabetes, o paciente deverá fazer o exame de curva glicêmica para confirmar o problema com glicose. A partir da confirmação da doença, o enfermo deverá iniciar o tratamento imediatamente.

Em suma, o tratamento envolve mudança na alimentação e no estilo de vida do paciente, sendo recomendável praticar exercícios. Ademais, é importante que o enfermo monitore o nível de glicemia no sangue ao longo do dia.

Também há a possibilidade de fazer o tratamento com medicamentos e aplicações regulares de insulina. Nesse caso, a terapia pode ser de alto custo, como o tratamento por meio da bomba de insulina.

Entretanto, o paciente pode garantir o tratamento pelo plano de saúde, sendo indevida a negativa de cobertura, que pode ser revertida na Justiça por meio de um advogado especialista em Direito à Saúde e Direitos do Consumidor.

O Escritório Rosenbaum Advogados tem vasta experiência no setor de Direito à Saúde e Direitos do Consumidor. O contato pode ser feito através do formulário no site, WhatsApp ou pelo telefone (11) 3181-5581 e o envio de documentos é totalmente digital.

0Shares
0