Home Artigos e notícias Serão leiloados imóveis que sozinhos já valem uma fortuna.

Serão leiloados imóveis que sozinhos já valem uma fortuna.

20 de setembro de 2016

Serão leiloados imóveis que sozinhos já valem uma fortuna.

Começa nesta segunda-feira (19) um mutirão para leiloar os bens dos devedores e acertar este calote. São mais de três milhões processos em que o trabalhador ganhou, mas não levou. Em alguns casos demora tanto que tem gente que morre antes de ver a cor do dinheiro.

No ano passado, aproximadamente cem mil trabalhadores conseguiram receber a grana. Para resolver esses processos, a Justiça do Trabalho usa bancos de dados para localizar e leiloar bens dos devedores.

Estão em tramitação na Justiça do Trabalho oito milhões e meio de processos. Cerca de três milhões em fase de execução. Ou seja, houve a condenação, mas o devedor simplesmente não cumpre o que a Justiça determinou. O juiz, então, manda penhorar bens do devedor que podem ir a leilão. Pelo país afora serão leiloados, esta semana, imóveis que sozinhos já valem uma fortuna.
Um prédio na Zona Leste de São Paulo está avaliado em R$ 18 milhões. Também poderão ser arrematados caminhões, carros , obras de arte e alguns itens  curiosos.

“Tem de tudo, desde vestido de noiva, caixão de defunto, bens, móveis, utensílios de escritório, por exemplo, a variedade de bens é muito grande porque depende muito da atividade econômica do devedor. Então, quando o oficial de justiça penhora os bens, ele procura penhorar bens que tenham trânsito livre no comércio, que despertem maior atenção”, explicou o ministro Cláudio Brandão, do TST.

A leiloeira oficial Fabiana Cusato diz que os lances poderão ser dados pelas pessoas que forem ao local do leilão ou pela internet. E que o lance mínimo representa uma parte do valor do bem.

“Esses preços ficam de 40% para bens imóveis, 30% para veículos, e acontece de ter um só interessado e sair, realmente, pelo lance mínimo, é um grande negócio aí”, diz a leiloeira.

Uma sala comercial em um  prédio em São Paulo está avaliada em R$ 295 mil. O lance mínimo é de R$ 118 mil.

Os valores obtidos com os leilões serão usados para pagar dívidas trabalhistas. E olha que tem gente esperando por esse dinheiro há quase vinte anos.

A aposentada Maria Cristina Borchardt tenta na Justiça receber as verbas da rescisão e o FGTSdesde 1998. Ela trabalhava na Vasp, uma companhia aérea que parou de operar em 2005. Em valores corrigidos, Cristina teria para receber R$ 1,6 milhão, mas perdeu a esperança de pôr a mão em todo esse dinheiro.

“Eu recebi uma parte, 11% do valor devido, no dia 8 de setembro do ano passado.  O valor total da ação, isso aí a gente já sabe que não vai receber. Demorar muito já é sinônimo de justiça brasileira, em qualquer âmbito, não é só na trabalhista, qualquer uma”, queixou-se.
O marido dela estava na mesma situação com a mesma empresa. Faleceu sem receber.

“Ele morreu faz seis anos e não viu a cor do dinheiro”, disse Maria Cristina.

Segundo o Conselho Superior de Justiça do Trabalho, a Vasp é a maior devedora trabalhista do país. Os pagamentos estão sendo feitos por fases. Nesta semana, cerca de R$ 10 milhões devem ser distribuídos para 1,9 mil ex-funcionários.

O empresário Wagner Canhedo, diretor-presidente da Vasp, disse que enviou à vara do trabalho que cuida dos ex-funcionários da empresa uma proposta de acordo. Segundo Canhedo, as dívidas seriam pagas sem a necessidade de leilões.

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2016/09/demitidos-levam-calote-em-mais-de-3-milhoes-de-processos-trabalhistas.html

0Shares
0