Home Gaslighting: saiba identificar e se proteger

Gaslighting: saiba identificar e se proteger

Saiba o que é e como identificar o gaslighting e veja o que é possível ser feito para se defender desse tipo de violência psicológica.

16 de agosto de 2022 - Atualizado 26/12/2022

Nos relacionamentos, é natural esperar um bom tratamento, a criação de um vínculo de confiança e respeito mútuo. 

Porém, independente do tipo de relação, seja amorosa, profissional, de amizade, entre outras, esses relacionamentos podem ser abusivos, gerando diversos danos à vítima, que podem ser psicológicos e físicos.

Entre esses abusos, pode acontecer de alguém tentar repetidamente te convencer de que uma determinada situação é “loucura da sua cabeça”, fazendo a vítima duvidar da sua própria percepção da realidade.

Pois isso tem nome: gaslighting! Descubra o que é gaslighting e veja como reconhecer as principais características desse tipo de violência. 

O que é gaslighting?

Gaslighting é o abuso psicológico exercido sobre outra pessoa, com o intuito de fazer com que a vítima questione a sua própria sanidade, manipulando, distorcendo ou omitindo informações.

O termo ainda não tem tradução para o português, mas é definido pelos especialistas como uma forma de violência psicológica sutil e pode ser chamado simplesmente de “manipulação”.

Como surgiu o termo gaslighting?

O termo deve a sua origem à peça teatral “Gas Light” e às suas adaptações para o cinema, que em português ganhou o título “À Meia Luz” (1944).

Na trama, um marido tenta convencer sua esposa e outras pessoas de que ela é louca, manipulando pequenos elementos de seu ambiente e, posteriormente, insistindo que ela está errada ou que se lembra de coisas incorretamente quando ela aponta tais mudanças.

O nome da obra decorre do escurecimento das luzes alimentadas por gás na casa do casal. A esposa percebe com precisão o escurecimento das luzes e discute o fenômeno com o marido, que insiste que a iluminação não ficou instável em nenhum momento. 

Inspirado na situação abordada pela história, o termo gaslighting é utilizado desde 1960, pela população e pela literatura clínica, para descrever a manipulação do sentido de realidade de alguém.

Quem faz gaslighting?

A técnica de manipulação com o intuito de fazer com que uma pessoa questione sua própria leitura de realidade pode ser feita por qualquer indivíduo.

Nesse sentido, apesar de ser uma violência muito comum em uma relação amorosa, é preciso ter claro que esse é um abuso que pode ser cometido entre pais e filhos, irmãos, amigos, médico e paciente, nos ambientes de trabalho, entre outras relações.

Ademais, é importante destacar que essa forma de violência psicológica afeta, em maior número, mulheres, pessoas não brancas, pacientes, idosos e pessoas LGBTQIA +.

Também pode te interessar:

Entenda o que é a violência psicológica contra a mulher
Saiba como o síndico deve agir em casos de violência doméstica no condomínio
Saiba como funcionam as medidas protetivas da Lei Maria da Penha

Como identificar um gaslighting?

Em primeiro lugar, é importante saber que as características de gaslighting podem incluir o questionamento da sanidade do outro das seguintes formas:

  • assumindo que a pessoa está “louca”;
  • fingindo a não compreensão do assunto ou reclamação;
  • menosprezando ou desconsiderando os sentimentos da outra pessoa;
  • negando a existência de uma determinada situação. 

Vale ressaltar, que isso pode ocorrer nos mais variados contextos. Por isso, é preciso ficar atento aos padrões de comportamento das pessoas que praticam o gaslighting. Geralmente elas utilizam as seguintes estratégias: 

  • colocam a culpa na vítima, utilizando frases como “você está ficando louca” ou “você está fora de controle”, banalizando situações consideradas sérias, afirmando que a vítima está exagerando, que está agindo de maneira sensível ou não está conseguindo refletir corretamente;
  • contam mentiras com convicção, negam algo que já foi dito e questionam a veracidade de informações advindas de outras pessoas, o que contribui para confundir a cabeça de quem sofre o gaslighting;
  • afetam a autoestima da vítima já que, diante da confusão mental que vai se formando pouco a pouco, é normal que a pessoa que convive com o gaslighting passe a ver sua autoestima e sua autoconfiança se perderem e ela passa a acreditar que já não é mais capaz de fazer algo sozinha ou que não é boa o suficiente;
  • criam dependência justamente pelo fato da vítima se sentir incapaz e inferiorizada;
  • usam pessoas próximas como munição para desestabilizar a autoconfiança da vítima.

Como reconhecer os sinais de gaslighting?

É possível destacar alguns dos sinais comuns que as vítimas de gaslighting sofrem. Entre eles: 

  • constante questionamento do próprio comportamento;
  • sensação de confusão e loucura no trabalho;
  • desculpar-se constantemente com os familiares, parceiros, chefes;
  • esconder informações de amigos e familiares para não precisar explicar ou dar desculpas.

O gaslighting é considerado crime?

Sim! O gaslighting pode ser crime com base na Lei Maria da Penha, que prevê em seu artigo 5º, que a violência psicológica é considerada crime de violência doméstica contra a mulher.

Isso porque entende-se que essa forma de abuso psicológico pode desencadear na vítima ansiedade, depressão, perda da auto estima, isolamento social e maior dependência da pessoa manipuladora. Ademais, em muitos casos, a situação vem seguida de ameaças físicas e verbais.

Dessa forma, caso o relacionamento conte com algum desses fatores, poderá ser identificado como um relacionamento abusivo e, a depender do caso, ser passível de condenação pelo crime de violência doméstica e familiar.

Essas situações também podem atingir de forma direta ou indireta crianças e adolescente de uma família, resultando em questões como alienação parental, problemas com guarda e perda do poder familiar.

Por sua vez, um homem também pode ser vítima de gaslighting, o ato pode, sim, ser passível de condenação e o agressor responsabilizado pelo crime. Contudo, o caso deve ser enquadrado em algum dos tipos penais previstos em lei.

Por fim, como dito anteriormente, esse tipo de violência pode acontecer em diversas esferas e ser realizado por qualquer pessoa, como em uma relação de trabalho, entre servidores públicos e demais funções.

Nessa via, a forma de identificar o crime vai variar em cada esfera, podendo resultar em responsabilização penal, em indenização e, até mesmo, em punições no âmbito administrativo.

o-que-e-gaslighting-saiba-identificar-e-se-proteger
Imagem: Freepik (pch.vector)

O que fazer ao ser vítima de gaslighting?

Se você está passando por alguma situação que caracteriza o gaslighting, converse com alguém de confiança e busque ajuda para sair dessa situação.

Isso porque, na maioria dos casos, atos de abuso emocional, como o gaslighting, tendem a ocorrer ao lado de outros tipos de violência, por isso, é importante ter atenção e fazer uma denúncia caso seja vítima de qualquer tipo de violência física ou psicológica.

Diante disso, em caso de emergência, a vítima deve procurar ajuda por meio do telefone 190 da Polícia Militar ou ligar para a Central de Atendimento à Mulher, no número 180.

Shares
Atendimento Rosenbaum Advogados

Atendimento Rosenbaum Advogados

Olá! Podemos ajudá-lo(a)? Teremos prazer em esclarecer suas dúvidas.