Home Artigos e notícias EUA reabrem fronteira para vacinados contra covid-19

EUA reabrem fronteira para vacinados contra covid-19

Confira quais são as novas regras para a entrada de estrangeiros nos EUA, agora que o Governo Americanos reabriu as fronteiras para vacinados contra a covid-19.

17 de novembro de 2021 - Atualizado 18/04/2022

O governo dos Estados Unidos da América (EUA) iniciou, no dia 8 de novembro, uma nova política para o ingresso de viajantes estrangeiros em seu território.

Vale destacar, que antes dessa data, em decorrência da pandemia de covid-19, os viajantes brasileiros precisavam obter uma exceção de interesse nacional às restrições de viagem relacionadas ao Brasil.

Entretanto, a administração do presidente Joe Biden anunciou uma nova política internacional de viagens aéreas para ingressar em território americano.

Agora, os viajantes estrangeiros devem estar totalmente imunizados contra a covid-19 e fornecer comprovante de vacinação antes de embarcar em um avião rumo aos Estados Unidos.

Confira a seguir quais são as novas regras para viagens internacionais aos Estados Unidos.

Quem pode viajar de avião para os EUA?

Agora, todos os estrangeiros que já foram completamente vacinados contra a covid-19 têm permissão para entrar nos Estados Unidos para fins de turismo. 

Ou seja, as exceções de interesse nacional não serão mais necessárias para viagens aos Estados Unidos.

Vale lembrar, que são considerados completamente vacinados os indivíduos que receberam a segunda dose ou a dose única há pelo menos duas semanas. 

Quais são os requisitos para viajar de avião para os EUA?

Atualmente, todos os viajantes não-imigrantes estrangeiros com mais de 18 anos de idade precisam apresentar a prova de vacinação completa contra a covid-19 para poderem viajar aos EUA. 

Além disso, todos os passageiros de companhias aéreas com mais de dois anos de idade que pretendam embarcar para os Estados Unidos devem apresentar um teste viral negativo para a covid-19 realizado até, no máximo, 72 horas antes da viagem.

Não obstante, os viajantes que são cidadãos americanos ou que são residentes permanentes legais (LPRs) vacinados precisam apresentar um teste de covid-19 negativo feito até três dias antes de viajar.

Já os cidadãos americanos, LPRs e portadores de visto de imigrante não vacinados precisam apresentar um teste negativo de covid-19 feito até um dia antes da viagem.

De acordo com o próprio Governo Americano, “este novo sistema global de viagens substitui as restrições existentes país por país, colocando em prática uma abordagem consistente em todo o mundo”.

As crianças precisam apresentar comprovante de vacinação contra covid-19 para entrar nos EUA?

Não! Os menores de 18 anos estão isentos da exigência de vacinação para viajantes estrangeiros, por duas razões:

  • a inelegibilidade de algumas crianças mais novas para a vacinação;
  • a variabilidade global no acesso à vacinação para as crianças mais velhas que são elegíveis para serem vacinadas.

Contudo, as crianças entre 2 e 17 anos deverão fazer um teste antes da partida. 

Quais são os requisitos de teste contra covid-19 para crianças?

O Centers for Disease Control and Prevention (CDC) estabeleceu que a aplicação dos testes em crianças devem atender ao seguintes requisitos:

  • caso a criança não esteja totalmente vacinada e viaje com um adulto totalmente vacinado, ela pode apresentar uma prova de um teste viral negativo de uma amostra colhida três dias antes da partida;
  • se uma criança não vacinada estiver viajando sozinha, ela deverá apresentar prova de um teste viral negativo de uma amostra colhida no dia anterior à partida.

Por fim, embora crianças com menos de dois anos de idade estejam isentas do requisito de teste, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças Americano recomenda um teste antes da partida para essas crianças, sempre que possível.

Qual o documento que legitima o status de vacinação para as companhias aéreas ao viajar para os EUA?

Além do passaporte com validade, um visto americano válido e a comprovação de estadia e de recursos para bancar a viagem, os estrangeiros precisam comprovar que estão totalmente vacinados.

eua-reabrem-fronteira-para-vacinados-contra-covid-19
Se você ainda não tem seu visto americano, é necessário obtê-lo antes de embarcar. | Imagem: Freepik (vwalakte)

Para isso, devem portar um comprovante de status de vacinação ao viajar, para apresentar à companhia aérea antes de embarcar para os Estados Unidos. 

Vale destacar, que esse comprovante de vacinação deve ser um registro em papel ou digital emitido por uma fonte oficial.  

Nele, devem constar o nome do viajante e a data de nascimento, bem como a vacina utilizada e as datas de administração de todas as doses que o viajante recebeu.

Também pode te interessar:

Conheça o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP)
CoronaVAC: entenda como funciona a vacina contra o coronavírus
Como remarcar uma passagem internacional

Quais vacinas contra covid-19 são aceitas nos EUA?

Serão aceitas as vacinas totalmente aprovadas e também aquelas aceitas para uso emergencial pela Agência Federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA) ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Vale ressaltar que isso inclui todas as vacinas atualmente aprovadas para uso no Brasil, contanto que a dose final tenha sido administrada duas semanas antes do início da viagem. Isso inclui, dentre outras, a CoronaVac, vacina do Instituto Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac.

Quem precisará comprovar a vacinação às companhias aéreas?

Todos os estrangeiros deverão apresentar o status da vacinação para as companhias aéreas antes do embarque para os Estados Unidos, com exceções muito limitadas como as crianças menores de 18 anos.

Como o status de vacinação dos viajantes será validado pelas companhias aéreas?

As companhias aéreas verificarão o status da vacinação por meio do comprovante em papel, uma foto do comprovante em papel ou por aplicativo digital. 

Isso quer dizer que os viajantes precisarão, necessariamente, mostrar seu status de vacinação por um destes meios.

Para que passageiro seja autorizado a embarcar rumo aos EUA, as companhias aéreas precisarão realizar os seguintes procedimentos:

  • verificar o nome e a data de nascimento para confirmar que o passageiro é a mesma pessoa refletida na prova de vacinação;
  • determinar que o comprovante foi emitido por uma fonte oficial no país onde a vacina foi administrada;
  • rever as informações essenciais para determinar se o passageiro atende à definição do Centro de Controle de Doenças (CDC) para a vacinação completa, como vacina administrada, número de doses de vacina recebidas, data(s) de administração e local de vacinação.

Vale lembrar que, desde janeiro, as companhias aéreas já vêm verificando a prova de um resultado negativo do teste antes da partida para os Estados Unidos.

Por fim, o consulado americano recomenda que os viajantes verifiquem previamente junto à companhia aérea qualquer dúvida sobre a verificação do status de vacinação antes de se dirigir ao aeroporto.

Como obter o visto para viajar para os Estados Unidos?

Os estrangeiros que querem entrar nos Estados Unidos precisam obter um visto que é colocado em seu passaporte, ou seja, um documento de viagem emitido pelo país de cidadania do viajante.

É importante frisar, que a Embaixada e os Consulados dos EUA no Brasil retomaram os agendamentos rotineiros de vistos de não imigrantes desde 8 de novembro de 2021.

Para agendar sua entrevista de visto, basta acessar o link “Serviço de Agendamento de Vistos”, no portal oficial da Embaixada e Consulado Americano.

Vale salientar que a Embaixada e Consulados dos EUA estenderam a validade dos pagamentos da taxa aplicada para Visto Americano de Não Imigrante, conhecida como taxa MRV, até 30 de setembro de 2023.

Tal medida foi tomada para permitir que todos os candidatos que não puderam marcar uma entrevista de visto, em razão da suspensão das operações consulares de rotina, tenham a oportunidade de marcar ou comparecer a uma entrevista de visto com a taxa já paga.

Imagem em destaque: Freepik (wirestock)

Avatar
Shares