Home Artigos e notícias Entenda como funcionará a rede 5G

Entenda como funcionará a rede 5G

Veja quais são as principais características da rede 5G e confira no que esta se difere das gerações de internet móvel anteriores.

12 de novembro de 2021 - Atualizado 12/11/2021

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que o leilão do 5G movimentou R$ 47,2 bilhões. 

Apesar de o valor ter ficado abaixo dos R$ 49,7 bilhões esperados inicialmente, a licitação dos lotes das faixas de frequência para operação do 5G representa um marco temporal importante para o país.

A partir de agora, a quinta geração de internet móvel passa a ser, de fato, implementada no Brasil. Confira a seguir como ocorrerá esse processo e saiba quais são as vantagens do 5G.

O que é o 5G?

De acordo com o Ministério das Comunicações, “o 5G é a mais nova tecnologia em redes móveis que proporcionará um grande avanço para o país em relação à conectividade”.

Trata-se da mais nova e mais avançada geração de redes móveis depois do 4G que, por sua vez, fornece conectividade para a maioria dos dispositivos atualmente.

Diante disso, as empresas de telefonia celular começaram a implantar o 5G em todo o mundo no final do ano de 2018, com o objetivo de proporcionar mais velocidade para downloads e uploads, cobertura mais ampla e conexões mais estáveis.

Quais são as principais características do 5G?

Em síntese, as redes 5G prometem aos seus futuros usuários uma cobertura mais ampla e eficiente, maiores transferências de dados, além de um número significativamente maior de conexões simultâneas.

Assim sendo, as principais características do 5G são a alta velocidade, a baixa latência (tempo mínimo de resposta) e uma maior disponibilidade operacional, o que permite que haja conectividade para praticamente tudo e todos simultaneamente, incluindo máquinas, objetos e dispositivos.

Além disso, o 5G apresenta características tecnológicas bastante distintas das gerações anteriores, o que proporcionará uma verdadeira revolução em diversas áreas como:

  • saúde;
  • educação;
  • segurança;
  • transportes;
  • indústria;
  • agronegócio.

Qual a diferença entre o 4G e o 5G?

O 2G permitiu o envio de SMS e de e-mails sem precisar de um computador. 

Com o 3G foi possível, pela primeira vez, enviar fotos e vídeos para outros aparelhos. 

Já o 4G, a tecnologia mais utilizada atualmente no Brasil, aumentou bastante a velocidade, permitindo baixar conteúdo, fazer transmissões online, além de atividades como ouvir música e assistir séries.

Isso posto, uma das maiores diferenças entre o 4G e o 5G é a velocidade de transferência de dados. 

Enquanto o 4G atinge velocidade máxima de download de 1 Gbps, o 5G pode chegar a velocidades de 10 a 100 vezes maiores.

Vale ressaltar que essa alta velocidade possibilita que um filme em HD seja baixado em poucos segundos e que uma videochamada seja realizada sem interrupções e com alta qualidade visual. 

Além do mais, a rede 5G permite maior capacidade de acesso simultâneo e ininterrupto de usuários e dispositivos em comparação com a rede 4G.

Qual é a velocidade do 5G?

Especialistas estimam que alguns dispositivos com acesso à rede 5G possam atingir taxas de até 10 GBps de download, um enorme aumento em comparação com a rede 4G.

Como funciona a rede 5G?

As redes 5G funcionam por meio de ondas de rádio, assim como as redes móveis das gerações anteriores. 

Todavia, o espectro coberto pela quinta geração da banda larga móvel é expressivamente maior que os anteriores. 

É importante destacar que as antenas da rede 5G serão acopladas às antenas já existentes, que, por sua vez, serão adaptadas para funcionar em paralelo com a nova infraestrutura de conexões.

Quais são as vantagens do 5G?

De acordo com o Ministério da Comunicação, a implantação da tecnologia 5G no Brasil possibilitará consideráveis avanços, tendo em vista que a alta velocidade de dados e a confiabilidade de rede proporcionarão monitoramento e gestão remotos, contribuindo com o aumento da eficiência nos serviços de empresas nos mais diversos segmentos. 

Uma outra vantagem seria a possibilidade da implementação de indústrias inteligentes que poderão usar o 5G como rede local, a fim de aumentar a produtividade operacional, automatizando toda a linha de produção.

Além disso, por serem menores e mais leves, as antenas 5G proporcionarão mais economia de energia, o que contribui para que haja menor impacto ao meio ambiente. 

Logo, além de proporcionar menor poluição visual, o 5G garantirá eficiência energética, uma vez que os equipamentos e os serviços serão otimizados.

Também pode te interessar: 

Internet cortada? Saiba o que fazer!
Veja como cancelar a internet fixa
Como fazer compras pela internet

Quando o 5G vai chegar no Brasil?

A tecnologia de telefonia móvel funciona por meio da utilização do espectro de radiofrequências. Por ser um recurso escasso e limitado no Brasil, o espectro é um bem público administrado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)

entenda-como-funcionará-a-rede-5g
A proposta do 5G é tornar tudo conectado, como celulares, carros, geladeira, máquinas de lavar, câmeras de segurança, entre outros eletrônicos. | Imagem: Freepik (rawpixel.com)

Por essa razão, para que uma empresa privada tenha autorização para utilizá-lo e explorá-lo economicamente, é necessário um processo de licitação realizado pela Anatel, seguindo as orientações do Ministério das Comunicações.

O leilão do 5G foi realizado pelo Governo Federal nos dias 4 e 5 de novembro e definiu, por meio de edital, que a tecnologia deve estar disponível em todas as capitais brasileiras até o dia 31 de julho de 2022.

As demais localidades devem demorar ainda mais para ter acesso à tecnologia no Brasil. O cronograma previsto de implementação do 5G é o seguinte:

  • 31 de julho de 2025 – municípios com mais de 500 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2026 – localidades com mais de 200 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2027 – cidades com mais de 100 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2028 – municípios com mais de 30 mil habitantes.

Quais empresas participaram do Leilão do 5G?

Ao todo, 11 das 15 empresas credenciadas a participar do leilão levaram algum lote. Dessas, cinco já possuem autorização para prestação de serviço móvel pessoal. São elas:

  • Claro;
  • TIM;
  • Telefônica (dona da marca Vivo);
  • Algar Telecom; 
  • Sercomtel.

As demais são consideradas estreantes no mercado, pois não possuíam, até então, autorização para prestação de serviço móvel pessoal:

  • Winity (Fundo Pátria);
  • Cloud2U;
  • Consórcio 5G Sul (Copel Telecom e Unifique);
  • Brisanet;
  • Neko (Surf Telecom);
  • FlyLink.

Como o 5G será implantado?

O 5G já está no ar por meio da tecnologia DSS (Dynamic Spectrum Sharing, ou Compartilhamento Dinâmico de Espectro), o que permitiu às operadoras disponibilizarem a quinta geração antes mesmo do leilão de faixas de frequência.

Todavia, por enquanto, o DSS faz com que o 5G possa funcionar em faixas de frequência já usadas por tecnologias anteriores como o 4G, com um ganho significativo em velocidade e latência. 

Porém, somente a partir da implementação pós-leilão, é que o 5G será ampliado até sua capacidade total de uso. 

Vale lembrar que, por se tratar de um leilão não arrecadatório, as empresas vencedoras terão que cumprir determinadas obrigações, que incluem investimentos em infraestrutura para ampliação da cobertura de sinal no país.

Nesse rumo, as operadoras vencedoras do leilão ficarão responsáveis: 

  • pelo aumento da cobertura de banda larga móvel;
  • por sua implementação em localidades que ainda não tinham acesso à internet; 
  • pelo investimento em backhaul de fibra óptica (a infraestrutura de transporte em cabo de fibra óptica que liga os pontos de rede a fim de fornecer conexão aos municípios);
  • pela instalação das antenas 5G. 

Por fim, foram leiloadas quatro frequências para a implantação do 5G. São elas:

  • 700 MHz;
  • 2,3 GHz,;
  • 3,5 GHz;
  • 26 GHz. 

Além disso, as empresas vencedoras do Leilão do 5G terão que cumprir alguns compromissos impostos pelo Ministério das Comunicações e pela Anatel. São eles:

  • a construção de Redes Públicas e de Rede Privativa de Comunicação da Administração Pública Federal, conferindo maior segurança ao trânsito de dados estratégicos de Estado;
  • a construção de seis infovias da Rede do Programa Amazônia Integrada e Sustentável (PAIS) no Norte Conectado, o que tirará milhares de pessoas do chamado “deserto digital”
  • a cobertura de 48 mil km de malha rodoviária com sinal de redes móveis até 2028;
  • garantir a conectividade nas Escolas Públicas de Ensino Básico;
  • garantir a proteção aos que acessam TV aberta por meio de parabólica na banda C, já que há no edital uma disposição que garante a qualquer cidadão inscrito no Cadastro Único o recebimento gratuito de kit de migração com novo receptor e nova antena para que continue tendo acesso pleno ao sinal de TV.

Será necessário adquirir um novo aparelho para o 5G funcionar?

Sim! Os dispositivos móveis devem ser adaptados para receber o sinal da rede 5G.

No Brasil, esses novos aparelhos já começaram a ser comercializados e a estimativa é de que nos próximos dois anos haja considerável aumento na diversidade de modelos e de marcas disponíveis para compra no mercado.

Quais os novos serviços que o 5G proporcionará?

Devido à alta conectividade do 5G, os usuários terão experiência aprimorada em novos serviços, como: 

  • realidade aumentada – designa a interação entre ambientes virtuais e o mundo físico, como o QR Code;
  • realidade virtual – um ambiente gerado por meio de um computador (através de um óculos ou capacete), com cenas e objetos que parecem reais, fazendo com que os usuários se sintam imersos nessa realidade;
  • telemedicina – uma área da Telessaúde que oferece atendimento médico de forma remota;
  • internet das coisas – é um conceito que se refere a uma revolução tecnológica em que diversos dispositivos e objetos do dia a dia estão interligados e conectados à internet, possibilitando a gestão remota deles.

Além do supracitado, videochamadas e serviços de streaming em plataformas de transmissão de lives e de jogos serão quase instantâneos e sem interrupções em função da alta transmissão que a tecnologia 5G proporcionará.

Enfim, de acordo com especialistas, o 5G permitirá que mais de 1 milhão de aparelhos se conectem por metro quadrado.

Imagem em destaque: Freepik (pikisuperstar)

Avatar
Shares