Home Artigos e notícias 76% dos imóveis comprados nos últimos 12 meses tiveram desconto. Só 23% pagaram o preço pedido pelo anunciante, diz FipeZap. Percentual de pessoas que acredita que os preços vão ficar estáveis subiu.

76% dos imóveis comprados nos últimos 12 meses tiveram desconto. Só 23% pagaram o preço pedido pelo anunciante, diz FipeZap. Percentual de pessoas que acredita que os preços vão ficar estáveis subiu.

11 de agosto de 2016

Apenas 23,4% das pessoas que compraram imóveis nos 12 meses terminados em junho pagaram o preço pedido pelo vendedor – ou seja, 76,6% receberam desconto. Os dados são de pesquisa divulgada nesta terça-feira (8) pelo FipeZap. Foi o 16 mês seguido que o percentual de compras com desconto aumentou.

O levantamento mostra ainda que o desconto médio recebido por compradores de imóveis continua subindo. Em junho, o percentual médio de desconto recebido em compras realizadas nos últimos 12 meses foi para 9,4% – um aumento em relação aos 9,2% registrados em maio e os 6,7% em junho de 2015.

Nos últimos 12 meses, 60% dos imóveis vendidos eram usados, contra 40% novos. Entre os que pretendem comprar nos próximos 3 meses, apenas 13% fazem questão de imóveis novos, contra 34% que querem casas ou apartamentos usados. A maioria, com 53% dos entrevistados, afirma não ter preferência.

Maioria ainda considera os preços altos
Entre as pessoas que pretendem comprar imóveis, 70% consideram que os preços estão “altos” ou “muito altos” – uma queda em relação à pesquisa anterior, de 73%.

Outros 21% dizem que os preços estão “razoáveis”, enquanto os que acham que os valores estão “baixos” ou “muito baixos” somam apenas 4% e 1%, respectivamente.

Considerando as pessoas que compraram imóveis nos últimos 12 meses, a percepção de 53% é que os valores “altos” ou “muito altos”. Os que disseram que os preços estão “razoáveis” somaram 33%, e “baixos”, 10%.

A maioria das pessoas que pretendem comprar imóveis nos próximos 3 meses (51%) acredita que os preços dos imóveis vão diminuir nos próximos 12 meses. O percentual é menor na comparação com a última pesquisa, de 56%.

O percentual de pessoas que acham que os preços vão subir ficou estável em 16%. Já a proporção de entrevistados que acreditam que os valores vão permanecer iguais subiu de 29% no primeiro trimestre para 33% no segundo.

Fonte: G1

0Shares
0